Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Limitados voos do caça mais caro do mundo

As autoridades norte-americanas foram obrigadas a impor restrições sobre o uso do caça de quinta geração mais caro do mundo, o F-22 Raptor. Os pilotos se recusam a voar nele devido a um defeito no sistema de bordo de geração de oxigênio e se queixam de asfixia após os voos.

Em 2010, o piloto militar Jeffrey Haney que dirigia um F-22 caiu no Alasca. O inquérito revelou que durante o voo, ele começou a asfixiar devido ao mau funcionamento do sistema de bordo de geração de oxigênio. No entanto, Haney foi considerado culpado pelo acidente. A busca de falhas no sistema não deu resultados, e os pilotos continuaram se queixando de asfixia durante os voos e de maus odores no cockpit. Foi esta a razão para assinar a ordem de impor restrições significativas sobre voos do Raptor. Agora, os F-22 não podem fazer voos longos, devem estar ao alcance de pistas para pousos de emergência, e não devem voar acima dos 7,6 mil metros acima do solo. Uma comissão de peritos está tentando compreender completamente as causas dos problemas nos caças. De sue decisão depende o destino do Raptor, acredita o coronel Viktor Baranets, comentarista militar do jornal Komsomolskaya Pravda:

"Será ou não terminada a produção do Raptor depende da conclusão da comissão de peritos que estão trabalhando nesses problemas. O dinheiro gasto é enorme – só para desenvolver o F-22, os americanos gastaram cerca de 30 bilhões de dólares, e, é claro, não faz sentido abandonar uma máquina tão altamente divulgada. Algumas de suas características de desempenho táctico-técnico são únicas. E nisso os americanos não se vangloriam em vão, apesar de não falar sobre as deficiências".

O Raptor é um caça de quinta geração. Apenas dois países do mundo desenvolvem tal equipamento militar – a Rússia e os Estados Unidos. Na Rússia existem duas empresas que produzem caças de quinta geração – MiG e Sukhoi. A Rússia realiza seus projetos tendo em conta a experiência de seus colegas norte-americanos, diz Viktor Baranets:

"O nosso SU-27 é superior em muitos aspectos ao Raptor, o que os próprios americanos reconhecem, e o que foi também confirmado por múltiplas batalhas de computador que foram realizadas entre o SU-27 e o Raptor. Junto com a Índia, estamos agora desenvolvendo uma máquina de nova geração, o conhecido projeto T-50 ou PAKFA (na sigla russa) – complexo de aviação tática. Esta aeronave já iniciou os voos. Ele já está passando testes. Em muitos aspetos o nosso avião é melhor que o mesmo Raptor. Ele possui uma velocidade superior e tem armamentos mais potentes. Há também outras inovações que nunca foram usadas em qualquer lugar do mundo".

O custo aproximado do Raptor é de cerca de 400 milhões de dólares por máquina. O custo de uma hora de voo do F-22 é de aproximadamente 44.000 dólares. Isso torna-o o caça mais caro do mundo. Seu análogo russo, segundo estimativas preliminares, vai custar 2,5-3 vezes mais barato.

A voz da Rússia

This work is licensed under a Creative Commons license.

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..