Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

JN descobre maracutaia de Dirceu

image

O Jornal Nacional localizou em uma área pobre do Panamá o homem que seria o presidente da empresa que administra o hotel Saint Peter, em Brasília, onde o ex-ministro José Dirceu, condenado no julgamento do mensalão, pretende trabalhar.

Dirceu está preso na Penitenciária da Papuda, onde cumpre pena em regime semiaberto, que permite a ele trabalhar durante o dia e voltar à noite para a prisão, para dormir. O ex-ministro recebeu uma oferta de trabalho do Saint Peter, hotel no centro de Brasília, que fica em um prédio de 15 andares e 424 apartamentos. O Saint Peter pretende pagar ao ex-ministro R$ 20 mil por mês para que ele exerça o cargo de gerente administrativo.

O homem que preside a empresa administradora do hotel mora numa área pobre da Cidade do Panamá, capital do Panamá, país da América Central, e trabalha como auxiliar de escritório numa empresa de advocacia.

Um dos sócios do hotel, Paulo Masci de Abreu, é irmão de José Masci de Abreu, presidente  do PTN (Partido Trabalhista Nacional), que em 2010 apoiou a eleição da presidente Dilma Rousseff. Mas ele é sócio minoritário. Tem uma cota, no valor de R$ 1, como mostra o contrato social da empresa.

Todas as outras cotas, que somam R$ 499.999,00, pertencem a uma empresa estrangeira,  a Truston International Inc, com sede na Cidade do Panamá.

A Truston está inscrita no registro público do Panamá e tem como presidente um cidadão panamenho, José Eugenio Silva Ritter. O nome dele, abreviado, aparece , junto a outros dois nomes: Marta de Saavedra, tesoureira, e Dianeth Ospino, secretária.

José Eugênio Silva Ritter também aparece ligado a mais de mil empresas em um site criado por um ativista anticorrupção.

O procurador da Truston no Brasil, como mostra o contrato do hotel Saint Peter, é Raul de Abreu, filho de Paulo Masci de Abreu.

Por telefone, Paulo de Abreu e o advogado de Raul de Abreu disseram ao repórter Vladimir Netto, da TV Globo, que José Eugênio Silva Ritter é um empresário estrangeiro apresentado por meio de um advogado. Também afirmaram que a empresa presta contas a José Eugênio regularmente.

Veja abaixo o diálogo que o repórter travou por telefone com Paulo de Abreu e o advogado dele:

- Vladimir Netto: Quem é o seu sócio majoritário?
- Paulo de Abreu: É a Truston. É uma empresa que investe em hotéis.
- Vladimir Netto: Quem é o dono da Truston?
- Paulo de Abreu: Ah, tem vários acionistas, né? Precisa ver, até porque as ações, como são vendidas constantemente, né?
- Vladimir Netto: Quem é José Eugenio Silva Ritter?
- Paulo de Abreu: É o presidente.
- Advogado: É o presidente da empresa.
- Vladimir Netto: mas vocês o conhecem?
- Paulo de Abreu: Uma vez nós já tivemos... em reunião.
- Vladimir Netto: Ele veio ao Brasil, dr. Paulo?
- Paulo de Abreu: não, eu estive lá em Miami.
- Vladimir Netto: Isso foi quando? Foi quando os senhores resolveram fazer uma sociedade pra administrar o Saint Peter?
- Paulo de Abreu: É, quando formalizamos a parceria. De lá pra cá, a gente manda as informações pra lá e ele se dá por satisfeito, enfim, ou pergunta alguma coisa, mas houve essa reunião em Miami quando da formalização do entendimento.

Na periferia
O Jornal Nacional foi ao Panamá para tentar entrevistar o presidente da empresa que administra o hotel Saint Peter. Jose Eugenio Silva Ritter mora em uma rua em um bairro pobre na periferia da Cidade do Panamá.

Quando o repórter chegou, ele estava lavando o carro na porta de casa. Ritter disse que trabalha num escritório de advocacia, o Morgan y Morgan, há mais de 30 anos. E reconheceu que  aparece mesmo como sócio de muitas empresas mundo afora. "Trabalho na Morgan y Morgan e eles se dedicam a isso", afirmou.

Ele disse que não lembra da Truston International Inc, que administra o hotel Saint Peter, empresa da qual é o presidente.

"Eu sequer sei se é o nome de uma sociedade de várias pessoas. Você, por favor, vá lá na Morgan y Morgan, lá com um advogado e tudo, aí eu posso te dar a informação que você precisa. Se me autorizam, se posso falar, te dar as respostas, porque pode botar em perigo meu emprego", afirmou.

Morgan y Morgan
No órgão que regulamenta e fiscaliza o mercado de capitais dos Estados Unidos consta que José Eugenio Silva Ritter é auxiliar de escritório do Morgan y Morgan.

A Morgan y Morgan fica em um prédio no centro financeiro da Cidade do Panamá. É uma firma que ajuda na fundação e administração de empresas internacionais com sede no Panamá.

A legislação do país permite que ações de companhias sejam transferidas de um empresário para outro sem que seja necessário informar as autoridades. Isso faz com que seja muito difícil saber quem é o verdadeiro dono de empresas como a Truston International Inc, proprietária do hotel Saint Peter.

"Esses países percebem como uma estratégia econômica de trazer recursos para aquele país, justamente flexibilizar as regras sobre tributação, sobre identificação. Então, esses países acabam diminuindo essas exigências de identificação de documentação pra atrair capitais, pra atrair ativos pra fomentar a propria riqueza do país", afirmou Pierpaolo Bottini,
professor de direito penal da Universidade de São Paulo (USP).

O Jornal Nacional procurou Morgan y Morgan para perguntar sobre a propriedade da administradora do hotel Saint Peter, mas ninguém quis atender.

Controle acionário da Truston
A advogada de Paulo Masci de Abreu, Rosane Ribeiro, afirmou que a sócia majoritária da Truston International é a nora dele, a empresária lara Severino Vargas. E que a nora vendeu a Paulo de Abreu o controle acionário do hotel Saint Peter.

A advogada disse também que o cliente é dono de 60% do prédio onde funciona o hotel Saint Peter. Os outros 40%, segundo a advogada, pertencem ao empresário Paulo Naya.

G1 - JN acha no Panamá presidente de empresa que quer empregar Dirceu - notícias em Julgamento do mensalão


Brasil Progresso – Algo de muito estranha já pairava no ar e nos comentários do povo sobre o salário que Dirceu receberia.

Os mensaleiros e suas corjas de inescrupulosos, apesar de merecerem os direitos preconizados na CF/1988, não passam de parasitas cruéis à nação. Sempre articulam meios de se livrarem de condenações e cassações de seus mandatos numa demonstração de imoralidade administrativa sem precedentes na história brasileira.

O PT usou de persuasão da mídia para enganar durante muitos anos o povo. Tudo que faziam era grandioso e soava na mídia internacional como o país da prosperidade e justiça. As manifestações ocorridas em junho de 2013 mostraram ao mundo o quando desprezível é o PT e suas coalizões partidárias que fomentam interesses dignos de Estado Absolutista.

José Genoíno tentou de tudo, junto com seus advogados antidemocráticos – democracia é o poder do povo, ao povo e pelo povo, de forma que este tenha dignidade e efetivo controle sobre as maracutais dos representantes eleitos, já os advogados devem agir com ética e respeito ao povo, e não pela simples honra fajuta de seus clientes – para fugir das condenações e a cassação de seu mandato. Na votação que ocorria quanto à possível cassação, no último minuto de votação a favor da cassação de Genuíno, o inescrupuloso mensaleiro através de carta pediu sua renúncia.

O pior de tudo é que a nação brasileira assiste aos eventos de joguetes para transformar as condenações dos mensaleiros em violações de Direitos Humanos. A dignidade, pelo visto, não faz parte das posturas dos mensaleiros, e de quem se coaduna com eles. Até quando a nação brasileira terá que assistir tamanhas repugnâncias, e até quando o brasileiros honesto terá que suportar a imagem do Brasil no exterior como país corrupto, violador dos direitos humanos do povo sob o julgo de ditadores e fascistas disfarçados de democráticos?

Sim, o povo trabalhador paga muito caro pelas tramoias dos corruptos políticos e de quem se faça parceria com eles. Investimentos estrangeiros são diminuídos pelo risco de se investir em país corrupto, mas, ao mesmo tempo atrai investidores também inescrupulosos sedentos por riquezas ao custo de empobrecimento do povo, afinal o que importa é dinheiro no bolso.

Grandes impérios e nações ruíram por corrupções internas. Quando há pseudopatriotas há o chamamento de estrangeiros inidôneos – nos países de origem não encontram margens de atuações pelos Governos sérios e povo vigilante.

Sim, o PT lesou e muito o povo. Mas não só ele, mas as coligações partidárias. A quem interessa ainda votar no PT?

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..