Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

sábado, 21 de dezembro de 2013

Rússia: Quem está no preto, e que no vermelho

Rússia - No início de dezembro, o presidente assinou a Lei "Sobre os volumes gerais de transferências entre o orçamento nacional e provincial, a cidade do estado republicano, capital para 2014-2016 anos”.

A lei determina a quantidade de dinheiro do orçamento do Estado terá regiões em 2014. E o que as regiões serão captados fundos extras para o benefício de outros.

Temos imposta ao volume de subsídios já familiares para você cartão. A figura superior mostra a região no montante da ajuda para a região do orçamento do Estado ou, se não houver um sinal de menos, quanto dinheiro (em bilhões de dólares) nesta área dá o centro. A figura abaixo mostra a proporção de subsídios para o tamanho do orçamento local.

E imediatamente evidente que apenas três regiões - Almaty, Atyrau e região Mangistau - independentes de ajuda "de cima", e ajudar a si próprios para o orçamento nacional. Atyrau dá metade de sua renda, Mangistau - a sexta parte. Almaty - apenas um quarto, mas em termos reais, é 83 bilhões tenge - mais de Atyrau e Mangistau juntos.

Ele também mostra que nem todos vão para o dinheiro do orçamento Astana. Em 2014 a capital só vai ficar 4 bilhões de subsídios. E em 2015, ela planeja ir para baixo no número de doadores de orçamento.

A principal parte da ajuda orçamental para as regiões mais densamente povoadas do Sul - Cazaquistão (254700000000) e Almaty (123900000000). Até o nível de assistência para ser visto - as duas regiões usou o pior potencial humano. Mais 8 áreas para receber ajuda, o que equivale a mais de metade do seu orçamento local descartável.

À primeira vista, pode parecer que as 12 regiões do Cazaquistão não são economicamente independentes e não são consistentes. Sem a ajuda do centro que não iria sobreviver. Na verdade, o que corresponde a um sistema fiscal e orçamental centralizada quando as regiões de renda são fortemente controlados pelo sistema escolhido para a tributação.

O fato de que as regiões mais significativos são os pagamentos de imposto de renda sobre os cidadãos de renda - impostos sobre os indivíduos com imóveis e veículos. Todas as outras receitas fiscais significativas, especialmente imposto de renda corporativo, vá para o orçamento nacional. Acontece que as autoridades locais podem mostrar apenas no papel, como se seu território é algo lá fora funciona, e como ele funciona - em princípio, isso não importa. Só para pagar os salários dos trabalhadores locais. E sempre cobrir o défice orçamental a partir de Astana.

Injusto? Sim. Veja tudo, e ainda oferecem opções para resolver o problema. Em março, na reunião do governo Almaty Akim Akhmetzhan Yesimov oferecido para manter, pelo menos, metade do imposto de renda pessoa jurídica (CIT) para os orçamentos locais para "motivar e incentivar o interesse dos órgãos executivos locais no aumento da receita do governo." Mas, aparentemente, esta proposta não foi aceita.

A principal conclusão que pode ser feito por olhar para estas estatísticas: empresas locais no Cazaquistão não se desenvolve.Além disso, as autoridades locais ativamente evitar isso - e os números mostram como a situação é crítica. Neste contexto, falando sobre o pleno desenvolvimento do país, pelo menos no início.

Para o normal avanço econômico precisa programa de desenvolvimento real, que vai permitir o uso máximo de recursos e potencial humano para fazer um grande avanço econômico. Mas isso não é. A maioria das regiões ainda estão esperando a ajuda do "centro".

Газета «Караван» / Регионы страны: Кто в плюсе, а кто в минусе

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..