Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

As pichações estátua de Carlos Drummond de Andrade

image

Brasil Progresso – O que diria nosso  brilhante poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX diante das pichações e das manifestações?

Não quero ser estraga prazeres, mas vamos aos fatos. Primeiro que tal monumento - se analisarmos os gastos públicos, os subsídios dos políticos dignos de absolutistas,  as potencialidades naturais econômicas do Brasil e os milhões de brasileiros que vivem em condições reais subumanas, não podemos dizer que há, no Brasil, o esforço de todos objetivando o artigo 3°, da CF/1988 – é gasto desnecessário. Enquanto se constroem estádios, estátuas, os moradores de áreas de risco ficam à mercê do clima para que este não provoque deslizamentos - afinal o clima é sempre o culpado descartando a incompetência dos administradores públicos há décadas, que possibilitou o crescimento desordenado das metrópoles, ou seria um darwinismo social? Quanto a palavra vândalo, não se pode generalizar.

O ato feito a estátua não tem qualquer finalidade ao bem da nação, como reivindicações aos cumprimentos dos artigo 1°, 3°, 5°, 7°, inciso IV e, principalmente, o 37, todos da CF/1988. Bem diferentes foram as manifestações em junho de 2013, onde se reivindicavam melhorias nos transportes públicos e outros direitos Constitucionais. A pichação de "não é pelos R$ 0,20" não é vandalismo - e o que diremos, então, das pichações no Governo Militar (1964 a 1985) "Fora Ditadura". É vandalismo também? -, pois é manifestação legítima de um povo violado em seus direitos Constitucionais.

  O Estado Democrático de Direito não passa de caloroso discurso acadêmico nas salas dos futuros bacharéis de direitos. A própria Declaração Universal dos Direitos Humanos preconiza: "Considerando que o desconhecimento e o desprezo dos direitos do homem conduziram a atos de barbárie que revoltam a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os seres humanos sejam livres de falar e de crer, libertos do terror e da miséria, foi proclamado como a mais alta inspiração do homem. Considerando que é essencial a proteção dos direitos do homem através de um regime de direito,para que o homem não seja compelido, em supremo recurso, à revolta contra a tirania e a opressão".

Logo, quando um povo é subjugado em seus direitos humanos àquele o direito de se revoltar e lutar por seus direitos. O que digam as vastas imoralidades administrativas provocadas pelos agentes públicos políticos, o que digam os fios capilares implantados na calvície de Renan Calheiros, que está na casa do povo, enquanto os milhões de brasileiros vivem das migalhas do Estado absolutista disfarçado de democrático.

Será que Drummond se importaria com sua estátua ou com os acontecimentos que causam dissabores, tormentos e mortes do povo diante das ações de ímprobos, imorais administradores públicos? Com certeza Drummond diria que estátua pode ser remendada, limpada, mas a vida humana em muitos casos, quando não há morte, deixa sequelas irreversíveis à saúde mental e física. Mas também diria que a precariedade educacional representa a dúvida da existência do Estado brasileiro. Para que existe Estado se ele mesmo não é compromissado com o desenvolvimento do povo?

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..