Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

terça-feira, 18 de março de 2014

Estuprador de mulher se diz incentivado no WhatsApp

SÃO PAULO - O desempregado Adilton Aquino dos Santos, de 24 anos, foi preso na tarde desta segunda-feira, 17, na plataforma da Linha 7-Rubi da CPTM, na Estação Luz, acusado de estupro. Segundo a polícia, o rapaz molestou uma supervisora de 30 anos até ejacular na calça dela, com o pênis para fora. Santos foi espancado por passageiros da CPTM que viram a cena e acabou sendo salvo por seguranças da companhia, que o prenderam em flagrante.

Durante o ataque, a vítima tentou se desvencilhar do acusado, que a segurou pelo braço. Santos ainda teria tentado arrancar a calça dela. A supervisora foi encaminhada à Santa Casa de Misericórdia, em Santa Cecília, no centro, com luxação no braço. Depois, ela será encaminhada ao Hospital Pérola Byington, referência no atendimento de mulheres vítimas de agressão sexual.

De acordo com o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, o rapaz afirmou que foi motivado por páginas em redes sociais que estimulam esse tipo de ataque no sistema de transporte de São Paulo. "Ele disse que viu uma matéria na TV e grupos no WhatsApp que falam do assunto e decidiu fazer igual", afirmou o delegado.

Ocorrências. A Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom) já contabiliza 15 casos semelhantes apenas neste ano. Este caso foi o único registrado como estupro - os demais aparecem como importunação ofensiva.

Santos, desempregado e morador de Guaianases, não tem passagens pela polícia e confessou o ataque à supervisora. "Infelizmente foi um fato que aconteceu. Estava muito apertado no trem e eu não aguentei." O homem afirmou que nunca havia feito isso antes.

Segundo Gonçalves, a polícia monitora sites e grupos do WhatsApp que promovem esse tipo de crime. Uma das páginas, que incentivavam que homens molestassem mulheres justamente na Linha7-Rubi, foi tirada do ar neste fim de semana pelo Facebook.

Estadão


Brasil Progresso –  O superego é que mantém o ser humano em certa conduta esperada pela sociedade. O comportamento de um ser humano se adequará, mesmo que em sua personalidade haja transtornos de personalidade. O rompimento do “contrato social” às normas de condutas acontece quando o superego não tem mais força de controle sobre os impulsos sexuais levando o indivíduo a agir pela força como troglodita.

Enquanto as normas sociais vigoram há certo controle sobre os impulsos, de forma que todos mantenham condutas de educação uns com outros. Não há violações, transgressões à intimidade de cada pessoa. Quando redes sociais divulgam formas de transgredir direitos alheios, o troglodita milenar vence as condutas, as normas sociais, o impulso sexual se concretiza violando o respeito, a integridade aos demais seres humanos, pois o que importa ao violador é concretizar seu impulso, sua libido.

As autoridades públicas devem sempre vigiar as redes sociais sob condição de se ter mais e mais pessoas que agiram sob seus impulsos e cometendo, sadicamente, crimes seja para cometimentos de estupros até linchamentos.

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..