Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

quinta-feira, 20 de março de 2014

“Nós temos que lutar contra a propaganda da homossexualidade”

Rússia - Presidente do Conselho de Estado Komi Igor Kovzel propôs a criação de sanções para a promoção da homossexualidade entre os menores. Propostas adequadas de alteração à lei federal será enviado para o Conselho de Estado da República de Komi no Comitê Duma Estatal da Rússia em Família, Mulheres e Crianças. Iniciativa Igor Kovzel foi uma resposta à participação na organização da parada do orgulho gay em Syktyvkar meninas menores de idade. MS pediu ao presidente do parlamento regional, para comentar sobre a parada do orgulho gay, que estava marcado para o dia 31 de março, em Syktyvkar.

- Para começar, como uma estimativa geral dos residentes Syktyvkar, cada um de seus moradores da comunidade ativamente gay, que decidiu gastar seu desfile? Eu posso dizer por mim mesmo. Eu sou o pai de dois filhos, não recebê-lo. Eu definitivamente não gostaria se durante a caminhada com crianças desfilaram me Parada Gay. Eu acho que muitos irão se juntar a mim. Vemos a partir da reação da sociedade que a maioria não apoiar tais ações na cidade.
Se os cidadãos rejeitar alguma coisa, e os legisladores devem ouvir e responder. Estamos a construir uma sociedade democrática e não podemos simplesmente proibir comícios, manifestações e passeatas. Mas nem todo mundo é propaganda bater em algo. Se falamos sobre a necessidade de proteger as crianças contra a propaganda homossexual, então isso deve ser feito a nível legislativo. Portanto, o Presidium do Conselho de Estado de Komi realizado considerar apoiar a lei federal "sobre as alterações ao Código Administrativo" em termos de aumentar as multas para a promoção da homossexualidade entre os menores.

Agora comitê de legislação e do governo local é responsável por monitorar todas as leis do Noroeste da Rússia, a fim de entender como eles funcionam, as dificuldades encontradas pelos nossos colegas, se foram bem sucedidas. Após esta análise, se necessário, vamos complementar o projeto de lei, que foi listado e discutido na Duma de Estado, os ajustes necessários.
- Você quer dizer que para aumentar as multas para a promoção do homossexualismo?
- Sim, porque para comícios e desfiles, não podemos ser multados. Mas qualquer rali é de tal natureza é propaganda. Se você olhar para essas paradas do orgulho gay em outros países, podemos ver que este é um estilo de vida propaganda óbvia. Na Califórnia, o desfile de Berlim em torno da cidade homens seminus e com prazer mostrar as suas tendências sexuais. Temos que lutar contra esse tipo de propaganda, e, especialmente, a fim de proteger nossas crianças.


Sim, não podemos proibir as pessoas de expressar sua opinião. Eles podem fazer isso em seu próprio círculo, conversando com as mesmas pessoas com orientação sexual diferente. É seu direito e escolha. Mas estamos certos valores da família, que detém a maioria, e eu não gostaria de invadir as pessoas que acreditam que seus valores melhor.
- 31 de março, você pode esperar que os adeptos do movimento LGBT ainda tentam realizar um desfile no parque Michurinskom, apesar da proibição da prefeitura.

O que você diria a eles?
- Se você quer conhecer e passar o tempo junto com os seus apoiantes, remova boate. Puxou-o durante toda a noite, e não, você não vai interferir. Mas eu tenho medo que hoje são menores perto com a comunidade e entre os iniciadores do desfile. Que eles estão envolvidos, levanta a questão da legalidade de tais ações. É necessário chamar a atenção dos policiais e juvenil comissão porque o envolvimento de crianças em tais comunidades - uma violação direta da lei.
 

Valentin Timchenko

Fonte: Molodezh Severa

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..