Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

sábado, 14 de novembro de 2015

Dafne Anãzinha: em perguntas e respostas

A voz de uma cidadã no Estado Democrático de Direito!

“Olá eu sou a Dafne, sou anã tenho 1,30 de altura, 39 quilos e calço numero 30 nos pés. Não sou do tipo que cobra por hora, ficando o que tempo que for necessário, pois eu adoro conversar entre quatro paredes. Gosto de beijar quando a pessoa é higiênica. Sinto excitação no sexo anal, mas só faço quando não machuca ou quando o pipi é pequeno. Não faço inversão. Eu costumo adorar o sexo com homens, mas mulheres e casais também me atraem. Meus horários são restritos, pois à noite estou na faculdade. Atendo SOMENTE em motéis no bairro da orleans ou em hotéis que eu conheça. Meu atendimento é uma pessoa por dia mais que isso não. Sexo sempre com camisinha, sexo oral sem"!

A apresentação acima é de Dafne — até ontem [13/11/2015], o site estava funcionando adequadamente. Hoje [14/11/205], só é possível acessar o perfil através do cache do Google. Dafne, conhecida como Dafne Anãzinha, depois da entrevista no Programa do Ratinho, do SBT, virou celebridade nas redes sociais. Rosto de menina, articulada e desinibida, a profissional do sexo respondeu às minhas perguntas sobre vários temas atuais. Abaixo, as perguntas feitas por mim e suas respostas.

Desmistificar que profissionais do sexo são ignorantes e de mentes vazias, o propósito deste artigo. A liberdade de pensamento e de expressão, no mais democrático segmento humano, mesmo sendo tecnológico, é a internet. Sua arquitetura original é de consolidar a democracia, em todos os pontos deste orbe. Muitos países ditadores controlam os dados, as mensagens, como forma de calar vozes e de manter pequenos grupos humanos no poder.

A liberdade de expressão tem duas dimensões: individual e coletiva. Quando um indivíduo expõe seus pensamentos, a coletividade sabe o que ocorre no âmago deste indivíduo. Por sua vez, mesmo indivíduos dessa coletividade apresentam divergências de pensamentos sobre comportamentos sociais. A doutrinação, o limitar da liberdade de expressão e de pensamento aprisiona o ser humano a mesmice. Das diferenças, nasce as oportunidades de evolução. Se todos os seres humanos tivessem os mesmo pensamentos, a humanidade ainda estaria quebrando pedra e caçando com lanças.

A pluralidade de pensamentos permite, também, que todos os cidadãos, principalmente as minorias, possam dialogar visando paz, união, igualdade. Liberdade, Igualdade e Fraternidade são os três pilares de uma sociedade humanizada. As diferenças existem, fato, mesmo entre os animais não humanos. O animal humano é o único que mata por ideologias.

Nota: Entrei em contato com Dafne através de seu Twitter. Perguntei-lhe se poderia responder minhas perguntas, que enviaria pelo Twitter. Educada e rápida, obtive as respostas. Não modifiquei nada. Antes de algum leitor começar a apontar os erros gramaticais, por favor, saiba que ela respondeu, provavelmente, enquanto estava usando o Twitter, ou seja, se comunicando com seus seguidores, que não são poucos.

1) Dafne, como você se sente sendo profissional do sexo formada em bacharel em Direito?

“Me sinto uma pessoa comum, me sinto normal. Sinto que eu sendo profissional do sexo por atingir outro tipo de clientes na parte jurídica.

Algumas pessoas na minha sala comentaram que eu teria jogado a minha carreira no lixo. Não acho isso pois vou captar outro tipo de clientela, onde as pessoas vão me procurar e contar coisas que não contariam para outro profissional comum, elas vão me procurar sabendo que eu jamais vou julgá-las”.

2) Sabemos das dificuldades enfrentadas por cadeirantes, deficientes visuais, ou, simplesmente, pessoas com deficiências [Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência], ou pessoas portadoras de deficiência [Constituição Federal e demais legislações], no Brasil. O que não condiz com a Carta Política de 1988, no que tange às normas contidas nos arts. e 5º. O nanismo é considerado, pela norma contida no art. 5º, § 1º, I, a, como deficiência física. O Estado vem cumprindo as normas Constitucionais e legislações quanto à inclusão social?

“Por tudo que eu já passei na vida, acho que o estado vem cumprindo a lei de inclusão. Porém eu acredito que as empresas não respeitam os portadores de necessidades especiais.

Já trabalhei em vários bancos pela cotas, ou seja, minha vaga era especial. Mas as empresas não estão preparadas para lidar com pessoas especiais, sempre rola um pré conceito. Por exemplo, minha vaga era diferenciada era das 8 as 16 e o restante do pessoal trabalhava das 8 as 18 e aos sábados e domingos por a minha vaga ser especial as pessoas tinham raiva de mim e me tratavam com falta de respeito dentro do meu ambiente de trabalho.

Outra coisa que é os pcd tem é ser sempre bem alegre por tudo que passamos estamos sempre sorrindo, algumas pessoas nessas empresas não entendem isso e acabam nos discriminando e sempre de olho na gente para que mudamos a nossa postura contente. Isso já aconteceu comigo, onde sempre fui chamada a atenção por rir de mais e estar sempre de bem com a vida.

Então rola muito pré conceito nas empresas eu sofri pré conceito em todas as empresas em que eu trabalhei, as pessoas sempre me descremindo e tirando sarro do meu tamanho

Na realidade as empresas não estão preparadas para receber o especial elas so cumprem a lei das cotas”.

3) Um dos grandes obstáculos às pessoas com deficiência é a [i]mobilidade urbana. O que falta no Brasil para assegurar o direito deambulatório?

“Sim, ainda precisa muito mudar, em Curitiba tem ônibus especial mas não é em todos os lugares, ainda tem obstáculos tem lugares que não tem rampa e são de difícil acesso.

Eu fiz varias cirurgias no joelho para endireitar pois eram tortos, muitas vezes eu usava aparelhos ortopédicos e já fui barrada em banco por muitos anos, chega a ser constrangedor”.

4) Como você mesmo disse, você gosta de sua profissão — profissional do sexo. Como você, muitos outros profissionais desse ramo são considerados" anormais "," pecadores "e" destruidores da família ". Como ser humano, o que tem a dizer? E como bacharel em Direito, que estudou disciplinas sobre Direitos Humanos, o que também tem a dizer?

“Eu tenho direitos total sobre o meu corpo que é garantido pela constituição e também na esfera de direitos humanos o direito a felicidade também, não acredito que eu esteja fazendo nada de errado, pois o pecado esta na mente das pessoas.

É muito difícil misturar religião com direito e com lado pessoal e moral como já disse antes eu fazia muita inversão em pastores, e na igreja eles eram os santos.

O Brasil é ainda é muito hipócrita em relação aos profissionais do sexo, onde todos usufruem dos serviços, mas na hora de dar a canetada em alguma lei para nos beneficiar eles agem com preconceito.

O conservadorismo é algo do passado, quanto mais conservador uma estado é mais crimes serão cometidos, tudo tem a haver com liberdade sexual.

Se uma pessoa é reprimida sexualmente ela tende a cometer atos ilícitos. Ou seja, ser conservador é ser opressor. Os seres humanos criaram um deus totalmente vingativo, vingança privada não é aceita no direito”.

5) Sua exposição na mídia tem aumentado interesse de pessoas, ou futuros clientes, em relação a você. Na sua página pessoal [blog] você fez um desabafo [10/11/2015] dizendo que"O Facebook é meu, o Twitter é meu, o Insta é meu, o Youtube é meu e falo e escrevo do jeito que eu quiser. Se eu quiser escrever [...] com acento ou [...] sem acento. O problema é meu. Não é porque eu tô na mídia que agora eu vou me comportar muito pelo contrário agora que eu vou falar besteira pra [...] Essas mulheres feministas Ficam me ligando tudo falta de um de um [...] bem grande no [...] pra conter a inveja". Na sua opinião, realmente é inveja de seu sucesso ou discriminação por ser nanica e/ou prostituta?

“Tenho percebido que o pré conceito maior ai nessa historia toda é por eu ser anã e não por eu ser prostituta.

Na televisão brasileira nunca se vê um anão sendo apresentador de programa, ou diretor de uma empresa ou sendo algo importante é sempre sendo ridicularizado ou estigmatizado.

Então eu estou sendo protagonista da minha própria vida e não coadjuvante e isso causa nas pessoas muito preconceito e raiva pois muitas tem duas pernas e dois braços e são altos e não fazem nada do que eu faço.

Como dirigir veiculo e estudar essas coisas. Então a mídia acabou me dando muita atenção algo que não acontece na televisão brasileira. Eles pensam: “como aquela anã esta na tv” é porque os portadores de necessidades especiais nunca ganham espaço em lugar nenhum e isso gera revolta por eu não ser alta essas coisas.

Pode te afirmar que com certeza o pré conceito maior é por eu ser anã”.

6) Nas redes sociais, as pessoas mostram o que são em seus âmagos. Acredita que no Brasil ainda perpetuam-se concepções teóricas de vida ao darwinismo social e eugenia? A essas concepções, se houver clientes de outros países, o tratamento pessoal é diferente do tratamento de seus clientes de pátria?

“Sim, em outros países os deficientes físicos são mais respeitados, se eu morasse nos estados unidos por exemplo eu seria uma atriz de Hollywood, pois todos que trabalham com sexo acabam se tornando uma estrela lá.

Tenho fa club na Alemanha onde sempre me convidam e la sou muito respeitada, na Holanda também é so no Brasil que as pessoas ainda tem a mente bem fechada em relação a prostituição.

Recebo ligações do mundo todo e muitas culturas estão aprendendo a falar português para se comunicar comigo e isso é muito legal.

O Brasil ainda esta atrasado não somente em relação a essa questão de prostituição e de deficientes físicos mas a muitas outras questões. Ainda tem muito o que melhorar”.

7) No mesmo blog você fez outro desabafo:"Imagine como está sendo difícil para todos aqueles caras que me esnobaram no passado e também que se recusaram a ficar comigo por eu ser pequenininha. Ter que ver a minha foto estampada em todos os jornais e também ter que me assistir em programa de televisão. É o mundo dá voltas... E eu adoro alfinetar um pouquinho hihihi". Pelo que se depreende, você guarda mágoas de seu passado. Diante de sua nova vivência, proporcionada pela mídia tradicional, você acha que seu emocional melhorará, isto é, a" nova "imagem servirá para compensar, ou até extinguir, suas frustações diante dos preconceitos pretéritos sofridos por você?

“Sim, por incrível que pareça você vai achar que eu estou mentindo, mas a prostituição me ajudou a superar o pré conceito de alguma forma.

Antes os homens não queriam me assumir por eu ser pequena, hoje eles me pedem em casamento todo o mês e isso faz com que eu me sinta mais bonita com certeza.

Não guardo magoa de nenhum homem que me trataram com pré conceito no passado por que nem magoa eles merecem de mim por que tudo que se faz volta um dia para você.

Sofri pré conceito ate do meu pai quando eu era criança então esses homens nunca vão me deixar para baixo porque eu não vou permitir

Infelizmente eu tive a ma sorte de me apaixonar por homens pré conceituosos no passado, mas hoje com toda a minha experiência eu não permito que esse tipo de gente se aproxime de mim

E claro que hoje como estou famosa muitos voltaram a se aproximar de mim pela fama mas eu corto na hora não dou moral. É claro que isso é bem gostoso, pois o que me fizeram mau no passado por pré conceito hoje me procuram então eu me vingo de alguma forma minha vingança é bloquear não falar mais sabe.

Não guardo magoas”.

8) Como bacharel em Direito, o que pensa sobre o Exame da Ordem? Muitos outros bacharéis reclamam do Exame. Eu mesmo editei artigo sobre o tema. Na minha visão, todos os bacharéis em Direito deveriam processar as instituições de ensino superior e o MEC. Instituições, pois forneceram serviços de ensino precários à formação do bacharel; o MEC, pois credenciou e deixou que tais instituições funcionassem, mesmo lesando seus clientes. Você acha que a OAB deveria ajudar os bacharéis em Direito a processar as instituições e o MEC?

“Eu acho que o exame não deveria existir porque eu sei como foi difícil me formar e na época eu não tinha carro, então eu saia da faculdade para pegar o ônibus tomava muita chuva, as vezes não tinha o que comer em casa, e nem dinheiro pra comprar um lanche.

Então eu já passei por varias humilhações também dentro da faculdade, acho que o exame da OAB é mais humilhante ainda, porque não é fácil pagar um curso caro desses e depois ainda ter que pagar mais esse exame.

Acho que sempre vão medir a gente por alguma coisa, estamos sendo medidos o tempo todo, essa prova não garante nada na vida, pois tem muito advogado que passa de primeira e so faz cagadas na vida.

Apesar de todas as dificuldades minha faculdade é uma ótima instituição me deu tudo, acho que o aluno que faz a faculdade. Não processaria ela de jeito nenhum se algum dia eu não passar na ordem vai ser porque eu não estudei e não culpa dos professores”.

9) O que você pensa sobre as feministas?

“Nada contra as feministas, acho que elas conseguiram lutar por muito direitos, mas vezes precisa de bom senso, não precisa generalizar tudo, já adquirimos direitos.

O maxismo sempre vai existir as coisas estão mudando mas isso é obvio, homens ainda ganham mais que as mulheres.

Prostituição para as feministas é o domínio do homem sobre a mulher, na cama quem sempre domina é a mulher, se ela bate o pé e fala que não quer ninguém vai obrigar, mas elas se esquecem que quem não tem dinheiro não tem liberdade. Pois com liberdade você vai onde quiser sem dar satisfação para ninguém

É muito relativo”.

10) Você disse no Programa do Ratinho [SBT] que adolescentes ficam ligando para você para saber sobre prostituição. Você acha que seu sucesso pode influenciá-las a essa profissão?

“Acho que quem esta na mídia influencia diariamente na vida das pessoas e elas não percebem, por isso que eu não respondo perguntas de garotas quando me questionam como ser garota de programa.

Não posso ir na mídia e dizer que minha vida é um mar de rosas, pois isso não é real eu estaria mentindo.

Essas meninas ainda não tem uma personalidade formada por isso tem que ter cuidado com que fala pois quem aparece na tv influencia muito e isso causa impacto irreversível.

Um exemplo, quando sai do programa recebi milhões de emails me perguntando sobre a cor do meu esmalte a marca de vestido o sapato que eu estava usando. Entao não posso negar que infuencia sim”.

11) No documentário Hot Girls Wanted, garotas entre 19 e 20 anos se prostituem para tornarem-se" celebridades ". Muitas admitem que seguir uma vida" normal "— sem ser pela prostituição — não é condição de sucesso a ascensão socioeconômica. O documentário também relata que muitas dessas garotas foram influenciadas pelas celebridades da música norte-americana. Ou seja, a prostituição não é, somente, uma necessidade econômica, mas uma necessidade de a pessoa se sentir desejada [ autoestima]. Como você analisa a prostituição neste século? Aproveitando, a autoestima das mulheres está comprometida pelas persuasivas publicidades de cosméticos, cirurgias plásticas?

“Sim, prostituição muitas vezes tem haver com autoestima, que é o meu caso nem sempre é por dinheiro, claro que o dinheiro ajuda, mas tem vários outros motivos por trás.

Tem garotas que se prostituem por falta de escolha, dificuldades financeiras, distúrbios sexuais, pervesão, abusos na infância, então são vários fatores, mas pode se dizer que ajuda muito na autoestima.

Por exemplo, ganho presentes e flores dos meus clientes toda a semana, isso é ótimo.

Acho que a mídia divulga muito sobre plásticas e comesticos é mais um exemplo de persuasão. Ter o homem mais lindo do lado sem ser mega gostosona não é aceitável na sociedade, ser magra e linda

Eu prego o seja você mesma, eu quebrei um taboo muito grande dentro da sociedade por isso as pessoas estão perplexas”.

12) Você pensa em casamento? Pretende ter filhos? Acha que sua profissão influenciará a sua prole? De que maneira?

“Claro que sim, sou mulher penso em me casar e ter filhos, mas ao mesmo tempo que eu quero eu já não quero mais.

No final vamos ficar velhos e ir para um azilo e vamos morrer todos sozinhos, mas se algum dia eu tiver um companheiro e filhos vou abrir o jogo para os filhos desdo começo. Acho que não vai influenciar em nada porque dentro de casa sou somente um ser humano de pijama vendo tv”.

13) No Brasil, ainda há fortíssima pressão no Congresso Nacional de grupos evangélicos e católicos contra as reivindicações dos profissionais do sexo. Você acha que o Estado é, realmente, laico?

“Sim, o estado é laico. O código penal não nos pune, o direito do trabalho ainda precisa muito mudar, a constituição nos garante uma seres de direitos e alguns entendimentos do STF em relação a prostituição é pacifico.

Então todos os ramos do direito precisam ter um entendimento único, porque o penal nos liberta e o direito do trabalho não nos da condições mínimas e dignidade trabalhista.

É preciso ter um entendimento único em todas as esferas do direito no Brasil”.

14) Há o lado ruim da prostituição, o tráfico de sexo. Com a aprovação de leis protegendo os profissionais de sexo, você acha que o tráfico terminará?

“Com leis mais severas em relação ao trafico de pessoas isso pode melhorar, mas não posso afirmar que vai acabar, pois ainda precisa de fiscalização que é uma coisa quem o Brasil é fraco”.

15) Qual a sua opinião sobre educação sexual nas escolas e diferenças comportamentais? Muitos dizem que influenciarão, negativamente, as crianças, isto é, o país se tornará um antro de orgias culminando na destruição do casamento — ninguém mais quererá casar, pois ser solteiro é mais prazeroso. Concorda?

“Educação sexual para crianças é essencial, eu me masturbava muito quando criança e era sempre discriminada por isso.

Quando uma pessoa é bem resolvida nesse aspecto ela não comete crimes como já falei. Casamento é algo altamente rentável para o Estado, então é um jogo de interesses de três partes.

Financeiramente quando mais existir monogamia mais melhor é para o estado. Monogamia é uma utopia”.

16) Você tem planos em criar ONG defendendo os direitos humanos?

“É muito difícil lutar por algum direito na sociedade brasileira, quando alguns assuntos envolvem o conservadorismo e a moral é bem complicado ter uma ONG.

É claro que se eu tivesse muito dinheiro eu investiria em ONGs para direitos não só humanos, mas como todos os direitos de todos os profissionais do sexo.

Tenho um projeto de lei para regularização da prostituição sei como é difícil ele ser visto por alguém”.

17) Você acha que o deputado Jean Willians defende, com primazia, os interesses dos LGBTs?

“O deputado Jean Willians é o único que luta por alguma coisa no Brasil, com certeza ele luta”.

18) Qual mensagem você daria aos deputados em relação a prostituição, a corrupção e aos seus altíssimos subsídios?

“O recado que eu dou aos deputados é que enquanto eles tem caros luxuosos, passagens de avião e outros luxos, nos aqui precisamos trabalhar duro e nem temos condições de ter nem a metade que eles tem.

Passamos por dificuldades em ter o nosso lugar ao sol, enquanto vocês comem do bom e do melhor, muitas pessoas utilizam o sexo para ter o que comer dentro de casa.

A política no Brasil teria que ser igual ao da suíça onde vários deputados dividem o mesmo apartamento e vão trabalhar de bicicleta”.

19) Você acha que suportará as pressões negativas agora que é celebridade? E sua mãe? Como ela suporta os preconceitos?

“Eu estou bem tranquila no momento, sempre sofri pré conceito pro ser pequena isso eu estou tirando de letra, ou seja, não é nada perto do que eu já passei na vida. Muito pelo contrario estou sendo muito bem tratada. Minha mãe não liga também porque ela sabe que eu já sofri muito com o pré conceito se alguém a abordar na rua ela desce o barraco me defende ate o ultimo, minha família é muito unida nesse sentido”.

20)"Gosto de ficar com o cara. Estou mudando totalmente esse mundo e tem muita gente brava comigo, como cafetões, outras garotas de programa. Os clientes falam que saem com as meninas e elas me xingam. Já me procuraram também pelo celular e me xingaram, mas nem respondia, só bloqueava". Acha que realmente existem discriminações entre os profissionais do sexo? Quais seriam os motivos de cafetões e outras garotas de programa ficarem com raiva de você? Quanto aos cafetões, realmente impõem regras às prostitutas? Como bacharel em Direito, quais os mecanismos necessários para proteger os profissionais de sexo contras os domínios dos cafetões?

“A raiva delas é eu não cobrar por hora como elas e não ser alta como elas, mas acho que quem esta na mídia gera isso mesmo. Deveriamos no unir e não rolar esse tipo de coisa.

Eu quebrei um taboo enorme de que a garota de programa deve ser alta, magra, peitão, bundão.

Meus clientes gostam mais de estilo menininha, não uso maquiagem não me visto feito uma perereca, já atendi clientes até de havaianas.

Antes de eu fazer programa, eu fui analisar varias casas de prostituição para colocar na minha monografia, eu fazia entrevistas com as garotas.

Eles impõe muitas regras, por exemplo, tem que estar maquiada, bem vestida, sempre de salto, unhas feitas, caso não siga as regras muitas casas cobram ate multas.

Eu não trabalho para ninguém, sempre sozinha e isso gera neles um certo vomitinho.

No meu projeto de lei eu coloco que nessas casa não deveriam cobrar multas por nada e que o valor Maximo das porcetagens seriam 5%, muitos chegam a cobrar até 80% das meninas nessas casas, é um ato de escravidão realmente, acho que regularizando essas casas pode haver uma melhor fiscalização porque muitos lugares ainda são condições degradantes, péssima condições físicas la dentro.

Cafetao sempre vai existir, acho que as próprias meninas deveriam sair das garras deles, muitas não saem por medo, porque rola muita ameaça”.

21) Há uma concepção cultural de que se prostituir é sair com vários parceiros ou pagar por uma noite de sexo. O que você tem a dizer sobre mulheres que espreitam homens ricos, como as chamadas “Marias chuteiras”, para conseguirem ascensão socioeconômica? É prostituição, já que “venderão” seus corpos em troca de luxo e conforto? E o que dizer de mães que instruem suas filhas a se casaram com “bom partido”, não seria, também prostituição? Ou as garotas que namoram somente garotos com boa condição financeira, também não seria prostituição?

“Prostituição é a venda da moral em troca de pecúnia ou não.

Sim, elas são as chamadas putas informal, se vendem por pouca coisa. No Brasil existe muito disso, mas não se assumem como putas.

O que eu tenho a dizer que elas são tão putas como eu, só não chegam a cobrar formalmente como eu”.

22) O Estado social, a começar na década de 1990, foi duramente criticado, principalmente, pelas classes sociais A, B e C. Qual a sua opinião?

“Ainda tem que mudar muito. O Estado deve dar condições mínimas de sobrevivência humana as pessoas, a constituição é linda no papel, mas na vida real não cumpri nem com um terço do que esta escrito la.

Estado digno e humano é uma mentira”.

23) Sobre a liberdade de expressão, de pensamento e de imprensa, como você analisa? Será que realmente há liberdade?

“Como eu disse antes, as pessoas só tem liberdade se tem dinheiro. Tanto a imprensa como o Direito são extremamente essencial para a sociedade.

Se um desses órgãos caírem, pode-se dizer que cai a liberdade também.

Liberdade de expressão é um direito adquirido”.

24) Deputados estão criando leis para combater à corrupção na Administração Pública. Diante dos escândalos de improbidades administrativas, os parlamentares estão realmente empenhados em combatê-la, ou não passa de jogos políticos [politicagens]?

“Deputados criar leis anti-corrupção? É ruim hein, como vão criar leis para eles mesmos burlar?

Não posso generalizar tem muitos la que trabalham de verdade, mas infelizmente no Brasil se você não tem contatos você não tem nada. Triste realidade”.

25) Quais medidas são necessárias para que o Brasil consolide a democracia?

“O Brasil já é um pais democrático, se tem corruptos no poder foi nos mesmo que os colocamos, não podemos criticar se foi nos que fizemos isso.

Por isso que se chama democracia, nos com o nosso poder de voto que fazemos a sociedade, se existe corrupção não podemos reclamar, cada um tem o Estado que merece”.

26) O Lei Maria da Penha é um verdadeiro instrumento em defesa das garantias fundamentais da pessoa humana. Você acha que ela está sendo eficiente ao combater o secular machismo brasileiro?

“Não, vejo noticias todos os dias essa lei não é o suficiente para impedir um agressor.

Essa lei ainda é falha, muitas mulheres estão morrendo por negligencia jurídica por parte dos magistrados. Não é suficiente.

A mulher adquiriu muitos direitos ao logos dos anos e com isso os homens estão perdendo o espaço, ela tem direitos ela opina, se divorciam. Muitos homens entendem isso como uma dominação feminina sobre o masculino. E com isso acaba dando toda essa agressão, vontade masculina sobre a feminina.

Vai demorar muito pro homem cair a ficha e verificar que as mulheres que estão no poder eles vão ter que aceitar isso sem partir para agressão física. Ainda vai demorar muito”.

27) Nas eleições, várias pessoas se candidataram. Propagandas diversas, como uma cantora que promoveu suas nádegas como meio de ser eleita. Há críticas ao deputado Tiririca, por ser nordestino e circense. Diante da imagem “politicamente correto”, ou seja, de família tradicional, formado em curso superior, ou empresário de sucesso, você acha que os brasileiros elegeriam afrodescente ou profissional do sexo para a cadeira da presidência da República mesmo possuindo tais “qualidades”?

“Eu não sei, talvez sim, qualquer cesta básica compra.

É pão e circo. Mas ser profissional do sexo só teria a acrescentar mais direitos as outras profissionais, ter um atributo que a faz diferente não impede a pessoa de fazer ou ser o que quiser”.

28) Como eu, você e muitos brasileiros, a idade está avançando. Qual a sua noção de idoso no contexto sociopolítico brasileiro atual? O Estado assegura os direitos dos idosos?

“Idoso no Brasil ainda é motivo de muita falta de respeito, todos vamos envelhecer um dia e não podemos tratar os velhinhos como escasso.

Ainda no Brasil devem haver medidas de direitos para eles, a previdência é uma vergonha. Trabalha por anos e depois é difícil se aposentar, vergonha.

Existem leis de proteção, mas também não é o suficiente”.

29) O Brasil é um dos maiores produtores de grãos, como você explica os milhões de brasileiros que vivem em estado nutricional de subnutrição? Será a subnutrição é consequência das desigualdades econômicas geradas por concentrações de riquezas em certas regiões brasileiras?

“Sim, concentrar riquezas nas mãos de uma pessoa ou poucas pessoas é perigoso, gera desigualdades e com isso violência social”.

30) Por último, qual a importância que o sexo tem em sua vida? Você acha que temas sobre sexualidade humana ainda são tabus em nossa cultura? Para finalizar, qual a sua filosofia de vida e, pela sua trajetória de vida, o que você transmite de filosofia e Direito às mulheres reprimidas sexualmente?

“O sexo na minha vida tem uma importância muito significativa, pois sem sexo não há qualidade de vida.

Sexualidade é um taboo mundial, as pessoas não conseguem ainda falar sobre isso com naturalidade. Foram criadas para não tocar no assunto.

As mulheres não so brasileiras, mas no geral são muito reprimidas sexualmente, muitas não sabem nem o que é ter um orgasmo.

A religião, o conservadorismo oprime as pessoas. Não estou falando para as mulheres virarem putas, não. Estou dizendo que precisam se libertar sexualmente, fugi de pudores se masturbar com mais frequência ter orgasmos.

Ser feliz a sua maneira, realizando todas as suas fantasias sem pensar no que os outros vão pensar. Fazer o que quiser fazer.

Não deixe que a opinião dos outros afetem a sua personalidade”.

Grata

Dafne Anãzinha

Licença Creative Commons
Dafne Anãzinha: em perguntas e respostas de Sérgio Henrique da Silva Pereira está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em
sergioH28@gmail.com.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution Non-commercial No Derivatives license.Cópia e distribuição. Permissões, além do escopo desta licença Creative Commods 3.0, podem estar disponíveis em: http://www.transitoescola.net A cópia é permitida, desde de que cite este site / blog (colocar URL), A não ser de fontes replicadas, que podem ser modificadas, comercializadas, de acordo com suas respectivas licenças.

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..